Portal da Horticultura


Avaliação pós-colheita de frutos de tomateiro tratado com óleos essenciais de plantas,  para controle de Alternaria solani. Evaluation postharvest of fruits tomato treated with essential oils of plants, for control of Alternaria solani.

Carlos Luiz Milhomem de Abreu¹; Andréa Higuti¹; Jamille Casa¹; Cristiaini Kano¹; Francisco Luiz Araújo Câmara¹; Edson Luiz Furtado; Regina M. Evangelista.¹

¹ UNESP/FCA, Depto. de Produção Vegetal, C. Postal 237, 18610-390, Botucatu – SP.
anreiko_higuti@hotmail.com

 

 

Resumo: Objetivou-se neste trabalho avaliar a conservação pós-colheita de frutos de tomateiro cultivado a campo tratado com óleos essenciais de Cymbopogon citratus, Cinnamomum zeilanicum (1000, 3000 e 5000 µL/L ), Eucaliptus citriodora (3000, 5000 e 7000 µL/L) e o fungicida Cerconil ( 2g/L) nos intervalos de três e seis dias para controle de Alternaria solani. Os frutos foram acondicionados numa sala à temperatura ambiente (23 -28ºC). Os resultados mostraram que os frutos oriundos de plantas pulverizadas com fungicida e os óleos essenciais apresentaram valores de deterioração menor que os das plantas não pulverizadas, e que os intervalos de pulverizações de três dias favoreceram a conservação dos frutos quando comparados com os valores médios dos dados dos intervalos de seis dias.

Palavras-chave: Lycopersicon esculentum, Cymbopogon citratus, Cinnamomum zeilanicum, Eucaliptus citriodora, pós-colheita.

Abstract: It was objectified in this work to evaluate the conservation postharvest of tomato fruits cultivated to treated field with essential oils of Cymbopogon citratus, Cinnamomum zeilanicum (1000, 3000 and 5000 µL/L), Eucaliptus citriodora (3000, 5000 and 7000 µL/L) and fungicide Cerconil (2g/L) in the intervals of three and six days for control of it would Alternaria solani. The fruits were conditioned in a room to the temperature it sets (23 -28ºC). The results showed that the fruits originating from of plants sprayed with fungicide and the essential
oils presented values of smaller deterioration than the one of the non powdered plants, and that the intervals of sprayed of three days favored the conservation of the fruits when compared with the medium values of the data of the intervals of six days.

Keywords: Lycopersicum esculentum, Cymbopogon citratus, Cinnamomum zeilanicum, Eucaliptus citriodora, Postharvest.

INTRODUÇÃO
A exploração comercial do tomateiro (Lycopersicum sculentum) está relacionada como uma atividade que faz uso intensivo de insumos químicos, principalmente no controle de pragas e doenças.
Os óleos essenciais com seus compostos secundários como opção promissora no controle fitossanitário em sistemas de cultivos agroecológicos tem despertado interesse da pesquisa para solução de substituição aos pesticidas sintéticos na produção de alimentos, por possuírem alta atividade antimicrobiana, baixa toxidade ao homem, de fácil degradação e de pouco impacto ao meio ambiente.
Estudos sobre as atividades antibióticas dos óleos essenciais têm sido investigados com o propósito de encontrar produtos alternativos para controle de pragas e doenças, e na conservação dos alimentos, em substituição aos produtos químicos. Saito e Scramin (2000), em documentos sobre as plantas aromáticas e seu uso na agricultura, reuniram informações de pesquisa que apontam os óleos essenciais e seus derivados com propriedades fungicidas como promissores no controle fitossanitário.
Estudos com óleos essenciais de eucaliptos na inibição micelial “in vitro” para Fusarium oxysporum Schlecht., Bipolaris sorokiniana Shoemaker e Botrytis cinerea Pers., concluíram que todos as espécies tiveram efeitos fungistáticos nas concentrações de 500 mg/kg de E. (SALGADO et al. 2003). Mishra & Dubey (1994), avaliando o efeito do óleo essencial de C. citratus contra o crescimento micelial dos fungos Fusarium moniliforme, Aspergillus flavus e Aspergifllus  fumigatus, observou a efetividade na germinação conidial e crescimento radial dos três fungos, nas concentrações de 800, 1000 e 1200 ppm, respectivamente. Esse trabalho teve por objetivo estudar a vida útil pós-colheita em ambiente natural de frutos de tomateiro cujas plantas foram tratadas no campo com óleos essenciais e fungicida para
plantas no controle de Alternaria solani.

MATERIAL E MÉTODOS
O experimento foi realizado no laboratório de Fisiologia pós-colheita do Departamento de Produção Vegetal da Faculdade de Ciências Agronômicas FCA/UNESP-Botucatu entre os dias 10 de março a 2 de abril de 2005. Os frutos foram colhidos do experimento “Avaliação do controle de A. solani com uso de óleos essenciais de plantas, em tomateiro cultivado a campo” onde após 8 dias de transplante as plantas contidas nas parcelas foram divididas em sub-parcelas e pulverizadas de 3 em 3 dias e de 6 em 6 dias, com as concentrações de 1000, 3000 e 5000 µL/L com os óleos essenciais de Cymbopogon citratus (Capim limão), e Cinnamomum zeilanicum (canela), enquanto que para E. citriodora (Eucalipto) as concentrações utilizadas foram de 3000, 5000 e 7000 µL/L de água. Para homogeneizar com a água, os óleos essenciais foram misturados com o detergente Twin 80 na proporção de 1:1. Além dos óleos essenciais um tratamento constou do fungicida Cerconil 2 ml/L de água e outro tratamento sem aplicação. Após duas aplicações dos óleos essenciais, as plantas foram
inoculadas com uma suspensão de 104conídios/mL de A. solani , por 3 vezes, de dois em dois dias. De cada sub-parcela foram colhidos frutos comerciais e selecionados uniformemente pela cor, na mudança de cor verde para vermelha e colocados em uma bandeja de isopor, contendo 6 frutos em cada bandeja e armazenados a temperatura ambiente (23 –28º C). Os dados foram obtidos diariamente por 15 dias o estado de conservação dos frutos, descartando os deteriorados, murchos e os atacados por doenças. O delineamento experimental foi de fatorial 11 X 2, com 11 tratamentos, 3 repetições. Os dados coletados foram submetidos analise de variância e a comparação das médias pelo teste de Tukey a 5%.

RESULTADOS E DISCUSSÃO
Os resultados apresentados (tabela 1) mostram que na media geral do experimento, os tratamentos com os óleos essenciais de Cymbopogon citratus, Eucaliptus citriodora, Cinnamomum zeilanicum, suas concentrações e o fungicida não diferiram entre si, quanto ao total de frutos deteriorados até 15 dias de prateleira, que obtiveram valores entre 72,09 a 93, 77% mas foram, estatisticamente superiores a testemunha que estavam 100% dos frutos deteriorados. Quanto ao intervalo de pulverização de 3 dias, os frutos das plantas tratadas com
Cerconil apresentaram o menor dos valores, mas não diferiu estatisticamente do tratamento T1, T3, T5, T6, T7, T8, T9. Já para o intervalo de 6 dias, todos os tratamentos não diferiram entre si e testemunha com 100% de frutos deteriorados. Na comparação das medias dos tratamentos e intervalos de pulverizações dos produtos, todas as concentrações aplicadas de 3 em 3 dias foram estatisticamente superiores aos dos aplicados de 6 em 6 dias, com exceção do tratamento T4, que apresentou valores estatísticos semelhantes nos dois intervalos e igual a testemunha. O potencial de conservação de um fruto está diretamente relacionado, não só com o manejo adequado após a colheita, mas também dos tratamentos fitossanitários e práticas adotadas no campo que podem interferir na deterioração dos frutos pós-colheita (Chitarra & Chitarra, 1990) e segundo Ojeda (2001) alguns fungicidas como Prochloraz interferem na respiração e síntese de etileno aumentando a resistência do fruto a podridão pós-colheita.
 

Tabela 1


REFERENCIAS
Chitarra, M.I.F.; Chitarra, A.B. Pós colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Lavras: ESAL; FAEPE, 1990. 320p.
Mishra, A.K.; Dubey, N.K. Evaluation of some essential oils for their toxicity against fungi causing deterioration of stored food commodities. Applied and Environmental Microbiology 60, 1101– 1105. 1994.
Ojeda, R.M. Utilização de ceras, fungicidas e sanitizantes na conservação de goiabas “Pedro sato” sob condição ambiente. Piracicaba, 2001. 57p. Dissertação (Mestrado) – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo.
Saito, M. D. L.; Scramin, S. Doc. Cent. Nac. Pesqui. Def. Agr. (EMBRAPA).Plantas aromáticas e seu uso na agricultura. n. 20, p. 1-48, 2000. Jaguariúna.
Salgado, A. P. S. P.; Cardoso, M. das G.; Souza, P. E.; Souza, J. A.; Abreu, C. M. P. e Pinto, J. E. B. P. Avaliação da atividade fungitóxica de óleos essenciais de folhas de Eucalyptus sobre Fusarium oxysporum, Botrytis cinerea e Bipolaris sorokiniana. Ciênc. agrotec., Lavras. V.27, n.2, p.249-254, mar./abr., 2003.