Portal da Horticultura


Germinação de Artemisia annua L. cultivar Silves

D. M. Conceição¹; A. C. Rabonato2; P. M. Magalhães 2; B. Pereira 2
1. Departamento de Produção Vegetal/Defesa Fitossanitária – Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) – UNESP – Rua: José Barbosa de Barros, nº 1780. CEP: 18610-307 – Botucatu – SP; dmconceicao@fca.unesp.br;
2. Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas – CPQBA – UNICAMP – Av. Alexandre
Cazellato, 999 –Betel- CEP – 13.140-000 - Paulínia – SP,
pedro@cpqba.unicamp.br;

 

Resumo: A Artemísia annua L. é conhecida por seu uso como antimalárico, porém na literatura não se encontrou seu uso popular no Brasil. A planta produz a artemisinina que age especificamente sobre o Plasmodium ssp.. Além disso, a planta possui substâncias capazes de devolver consciência aos pacientes com malária cerebral, enquanto o óleo essencial apresenta atividade contra fungos (Lorenzi & Matos, 2002). O objetivo do trabalho foi testar a germinação da semente de Artemisia annua L cultivar Silves, sob duas condições ambientais, a fim de fornecer informações a cerca de seu cultivo. Na primeira condição realizou-se o teste padrão com 4 lotes de 100 de sementes, semeadas em gerbox sobre papel mata-borrão e dispostas em germinador à temperatura de 25-30° C, expostas à luz durante 8 horas diárias e umedecidas quando necessário, até sua emergência. Na segunda etapa foi realizado o mesmo procedimento anterior, porém as sementes permaneceram no germinador em ausência de luz, sob as mesmas condições de temperatura e umidade. Segundo análise estatística em Tukey a 5%, aplicada aqui sobre as médias de cada lote de 100 sementes, os tratamentos obtiveram diferenças significativas, sendo que as sementes expostas à luz obtiveram maiores valores de germinação. Em ambiente com total ausência de luz, as sementes obtiveram baixíssima taxa de germinação no mesmo período que as sementes em ambiente iluminado. Esse fato indica que a semente de A. annua é fotoblástica positiva e assim necessita um mínimo de luz para que ocorra sua germinação; por esse motivo não podem ser enterradas e sua semeadura deve ser apenas a lanço ou em superfície sem cobertura com terra. Esta característica é comum à muitas espécies que produzem sementes miúdas.