Portal da Horticultura


Patogenecidade de Meloidogyne javanica em duas cultivares de pepino. Pathogenicity of Meloidogyne javanica in two cucumber cultivars.

A. R. O. Higuti 1,3, C. Kano 1,3, A. M. Jesus 1,2, S. R. S. Wilcken 1,4, A. I. I. Cardoso 1,5. 1 FCA/ UNESP Depto. De Produção Vegetal, CP 237 CEP 18603-970, Botucatu – SP, 2 Bolsista do CNPq; 3 Bolsista da CAPES; 4 Prof. Adjunto; 5 Prof. Assistente Doutor



Resumo: O objetivo deste trabalho foi avaliar as reações de 2 cultivares de pepino a diferentes populações iniciais de Meloidogyne javanica. Foram utilizadas as cultivares Safira, considerada suscetível e Manteo,
considerada resistente a esta espécie de nematóide. O experimento foi conduzido em estufa na Fazenda Experimental Lageado. O delineamento utilizado foi blocos casualizados, com 8 tratamentos (fatorial: 2 cultivares x 4 níveis de inóculo – 0, 1500, 7500 e 37500 ovos), com 8 repetições. O inóculo utilizado foi extraído de raízes de tomateiro com população pura de M. javanica. O tomateiro “Rutgers” foi incluído como padrão de viabilidade do inóculo. A avaliação foi realizada aos 60 dias após a inoculação determinando-se o número de
galhas e massa de ovos. Quanto ao número de galhas não houve diferença estatística entre as cultivares, havendo diferença apenas para os níveis avaliados, sendo maior no nível de 37500 ovos. Na cultivar Manteo não foram encontradas massas de ovos, comprovando sua resistência ao nematóide estudado, enquanto que para Safira o maior nível de inóculo foi o que apresentou maior massa de ovos.